Carnaval no Rio.

Todo ano em Fevereiro, o Rio de Janeiro se transforma na maior festa carnavalesca do mundo inteiro. Todos os dias há milhares de pessoas na rua festejando.  Um dos eventos mais famosos são os desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro, com vários carros alegóricos e fantasias.

Na competição das escolas há quesitos a serem votados de bateria, criatividade nas fantasias e etc… O desfile acontece em uma única rua, conhecido como sambódromo. E é necessário comprar um ingresso para assistir. Para as pessoas que não conseguem comprar o ingresso, existem câmeras transmitindo o desfile em todo lugar. Algumas delas são controladas por controle remoto, e elas podem se mover por metros e metros junto o desfile. Na foto abaixo é possível visualizar o trilho da câmera.

Este trilho de 320 metros de comprimento está equipado com um dos nossos Drylin®, que garante um movimento suave e sem ruídos.

O Drylin® WS 28 garante que haja nenhum problema enquanto a câmera se move a 60km/h. As redes de televisão vem confiando na igus® há mais de 3 anos. Mesmo enfrentando frio, calor e chuvas, o trilho continua intacto e funcionando perfeitamente.

Exemplo de Drylin® para cameras:

Rio de Janeiro.

Nós viemos do verão para o inverno, do Japão ao Brasil o clima mudou. Teoricamente estamos no inverno no Brasil, mas é como se não estivesse. Pelo menos não no Rio de Janeiro.

Está 30 graus e a minha cara está toda queimada (mesmo usando um protetor solar fator 50). As buchas do nosso carro conseguem aguentar este calor mais do que eu. Elas estão funcionando perfeitamente bem, o que não é uma surpresa. Uma de nossas buchas, a iglidur® X, costuma aguentar temperaturas acima de 250C.

Após buscarmos o carro da inspeção, nós fomos diretamente visitar um de nossos clientes.  Localizada na periferia do Rio, visitamos a fábrica da maior rede de televisão do Brasil. Lá eles fabricam todos os equipamentos que são necessários para os seus programas de televisão, filmes e etc…

Em um dos programas de competição musical, é utilizada em suas cadeiras nossa iglidur® PRT. Quatro treinadores (artistas consagrados) sentam em cadeiras de costas para o palco. Se o treinador gosta do que escuta, ele aperta um botão fazendo com que a cadeira vire para o palco. Assim, o treinador mostra que tem interesse em trabalhar com aquele participante.

Nossa bucha garante uma rotação segura e sem ruído. (Na visita apenas a base estava disponível).

Além do deslize suave, outra vantagem é que todos são livres de manutenção.  Os treinadores podem escolher vários participantes sem que a cadeira necessite de lubrificação.

A fabrica e a maior parte da cidade estão cercadas por montanhas.

Umas das montanhas mais famosas é o Pão de Açúcar, que está a 396 metros acima do porto.

Há possibilidade de subir o Pão de Açúcar a pé ou de teleférico. A vista de lá de cima é incrível! É possível ver a cidade toda do alto da montanha. E você sabia que a iglidur® pode melhorar o desempenho de teleféricos? Saiba mais aqui: http://blog.igus.de/Blogengine/iglidur_on_tour/post/2014/03/24/Advantages-of-iglidur.aspx#continue

Do Pão de Açúcar é possível ver o símbolo do Rio de Janeiro. A estatua de Cristo, localizado na ponta do Corcovado (altitude de 700 metros).

Inicialmente, a estatua de 40 metros de altura foi construída para o aniversário de cem anos de independência do Brasil (1922). Mas por problemas financeiros, a estatua demorou 9 anos a mais para ser finalizada.

Você sabia que há outra estatua parecida com esta em Lisboa?

Nós visitamos o Cristo Redentor no por do sol, a vista do céu estava incrível no alto da montanha.

Vendo como um turista no Rio, há duas paixões visíveis entre os brasileiros acontecendo por aqui. Uma delas obviamente é o futebol, já que a copa do mundo está acontecendo aqui. Assistimos um dos jogos do Brasil em uma FIFA Fan Fest em Copacabana. Posso afirmar que foi uma experiência única.

Copacabana é uma das praias mais famosas no mundo inteiro. Ela tem uma extensão de quatro quilômetros, aonde a Fan Fest foi construída contendo milhares de visitantes na areia.

E quando o Brasil joga acontece uma festa, aonde ela se estende para a praia inteira.

Na Fan Fest, você também pode experimentar a segunda paixão brasileira, o Samba. Antes e após o jogo, o samba se espalha pela cidade inteira. Na figura abaixo estamos na frente de uma das escolas de samba mais famosas do Brasil, a Mangueira.

Localizada na favela da Mangueira.

As favelas fazem parte do Rio de Janeiro, assim como a Copacabana e o Pão de Açúcar. Na maioria das vezes, os moradores da favela são erradamente apresentados pela mídia. A mídia não foca na maioria dos moradores normais que habitam as favelas. Mas sim, os poucos criminosos. Em 2010, o governo implementou um programa polemico que visa a descriminalização das favelas, expulsando os traficantes e implementando delegacias.

Rio de Janeiro tem várias faces e certamente é uma das cidades mais bonitas do mundo inteiro.

Mantenho vocês informados,

Sascha.

Um país, uma paixão.

Samba, caipirinha e futebol.  A maioria das pessoas associam estas palavras ao Brasil. Até este momento, eu posso dizer uma coisa: nossos colegas não estão dançando samba e bebendo caipirinha o tempo todo. Agora sobre futebol, ok, é a copa do mundo e todo mundo no Brasil dos jovens aos mais velhos, homens e mulheres, todo mundo é louco por futebol (Mas lembre-se da copa na Alemanha, todo mundo começou a adorar futebol de repente).

Assistimos ao jogo do Brasil na semana passada em uma exibição publica do jogo em São Paulo, e senti a sensação única de um torcedor brasileiro.

O clima de alegria se transformou em tensão, quando o Chile empatou o jogo resultando em pênaltis.

Com a vitória do Brasil, a tensão se foi e todos se sentiram aliviados prontos para começar uma festa pelas ruas.

Saindo um pouco da copa do mundo, eu gostaria de apresentar a vocês uma outra copa. A copa do mundo RoboCup acontece também no Brasil em João Pessoa, de 19 a 25 de julho. A igus® está participando juntamente com os robôs, que irão competir com os melhores robôs do mundo em várias disciplinas. Uma destas disciplinas é o “futebol de robô”.

A Universidade de Bonn (Alemanha) construiu, em cooperação com a igus®, um robô humanoide que utiliza várias buchas iglidur®. Além das buchas, existem componentes de plásticos que foram fornecidos pela igus® usando o processo de sinterização a laser.

No próximo passo, o robô será equipado com os cabos Chainflex® também.

Enquanto as buchas iglidur® fornecem um movimento silencioso e ajudam a diminuir o peso do robô, os cabos Chainflex® ajudaram na economia de espaço e garantindo um ótimo fornecimento de energia.

As partes de plásticos, por exemplo, o corpo foi feito pela igus® com sinterização a laser. Com ele o robô ficou extremamente leve e resistente. Isso lhe dará uma grande vantagem sobre os competidores.

Aliás, o robô ainda não possui um nome. Acesse  http://goo.gl/mkYJ54 e ajude a escolher um nome para ele.  Durante as semanas iremos dar mais informações sobre ele, para que você o conheça ainda mais. E caso o nome que você deu sugestão seja escolhido pela igus® e a universidade, você ganhará uma surpresa.

Como informei a vocês, estou em São Paulo no momento. São Paulo, é a fortaleza econômica do Brasil e com 20 milhões de habitantes, é a maior área metropolitana no hemisfério sul.

Infelizmente o carro está a 700 quilômetros ao norte, no Rio de Janeiro. A alfândega do Rio é especializada em importações e por isso é muito mais rápida que a de São Paulo.

 

Hoje chegaremos no rio e de lá começaremos a nossa turnê. Iremos dirigir ao Sul até a fronteira com a Argentina.

Mantenho vocês informados,

Sascha.

Adeus Japão!

Durante as três ultimas semanas, nós exploramos os principais locais do Japão. Nós dirigimos uma média de 2.300 quilômetros até chegarmos ao Monte Aso, o maior vulcão ativo do Japão.  De lá para o norte, percorremos 1.700 quilômetros de volta para o norte.  Junto aos passeios do dia a dia, percorremos 5200 quilômetros por aqui. Lembrando que a turnê até agora, rodou mais de 17.000 quilômetros!

Enquanto dirigíamos para o norte, passamos pela prefeitura de Miyagi. Miyagi fica ao norte de Tóquio e foi manchete do mundo inteiro quando foi atingida por um tsunami.

Desde então muito foi feito nos últimos três anos. Todos os destroços (prédios e casas) foram removidos e muitas casas foram construídas.

Placas nos prédios indicam para subir ao topo em caso de tsunamis.

A vida continua, e a primeira vista você não acredita que esta cidade foi reconstruída. Mas se você sabe o que aconteceu é mais fácil de perceber a tragédia. Grandes vizinhanças urbanas estão abandonadas.

Alguns cidadãos nunca mais voltaram, assim como empregadores. Várias instalações que ficaram destruídas, nunca foram construídas novamente (pelo menos não na cidade). Algumas pessoas não só perderam suas casas, mas como também seus empregos. Pessoas ainda vivem em casas temporárias que muitas vezes são em lugares pequenos aonde a privacidade não existe.

 A fundação “Hitachi” é uma das organizações que está ajudando crianças após a tragédia.  “Hitachi” em japonês significa “vinte anos de idade”. Eles acompanham crianças até se tornarem adultas.  A Hitache serve como “guarda chuva” para várias fundações. Cada uma destas instituições é especializada em um tipo de ajuda. Uma delas é a “Chance for Children foundation” (CFC), que é focada em educação.

A igus® Japão dará suporte para eles doando um euro a cada quilômetro rodado.

Primeiramente o dinheiro será usado para salas de aula. Lá as crianças poderão aprender brincar e tirar duvida sobre seus deveres de casa. Também é dado um “voucher de educação”, aonde este voucher funciona como um método de pagamento. Para que as crianças possam entrar em museus, clubes de esporte, escolas de musica e etc… Tudo pago por meio do voucher.

A turnê chegou ao seu fim aqui no Japão. Gostaria de dizer “adigato gozaimasu” para todos meus colegas japonese, que me receberam e me deram suporte em toda a viagem. Foi uma ótima turnê.

Estamos a caminho de Tóquio. De lá o carro irá partir para o outro lado do mundo. No próximo post escrevo para vocês direto do Brasil!

Vejo vocês em breve,

Sascha.

Dirigindo para o norte.

Nós estamos ainda dirigindo para o norte. Nosso próximo destino é Sendai, ao norte do Japão. Sendai é a capital da prefeitura de Mijagi. As cidades costeiras de Mijagi foram as que mais sofreram com a maioria dos terremotos e com o Tsunami em 2011.

No caminho passamos por Fukushima, aonde o Tsunami atingiu uma usina nuclear. O estrago foi grande, afinal a “limpeza” continua sendo feita até hoje. E continuará nos próximos anos. Como a radiação é muito alta próxima aos reatores, robôs estão sendo utilizados no lugar de humanos. Um modelo de robô que está sendo utilizado para remover os entulhos, está utilizando nossa esteira triflex® R. A esteira triflex® R garante a segurança de seus cabos em qualquer movimento.  Além de fornecerem movimentos multidimensionais,  nossas esteiras são fácies de montar, em combinação com o dispositivo de tensionamento (triflex® RS).

https://youtu.be/j4pQ7AZ-Rvw

Com a triflex® RS é possível utiliza-la até mesmo em lugares com pouco espaço.

Continuamos nosso caminho para o norte ao longo da costa.

Chegamos a um ponto onde se situa a sepultura do primeiro Xogum no período Edo. Este é um tumulo temporário, está sendo construído um maior e mais brilhante.

Ele criou o Clã Tokugawa que teve o poder do Japão de 1600 até 1868. Os Xoguns (a melhor tradução seria “comandantes militares”) eram os líderes dos samurais e eram escolhidos por seus imperadores.  Embora o imperador de Kyoto ainda fosse o legitimo governante do Japão, os Xoguns também controlaram o país. Pessoas que rezam para os Xoguns as vezes doam algo em seus túmulos ou nos santuários.  Por curiosidade, uma companhia doou estes barris cheios de Saquê.

Outra doou figuras de plástico que são fabricados na região.

Mais ao norte nós visitamos o símbolo nacional do Japão, o famoso Monte Fuji. O Monte Fuji com 3.776 metros de altura é a montanha mais alta no Japão.

A altitude não é tão especial, mas sim o vulcão (última erupção em 1707) está acordado até hoje.

A montanha foi adicionada a lista de patrimônio mundial em 2013. Ela foi selecionada com um patrimônio “cultural” e não “natural”. Conforme a UNESCO, o Monte Fuji não só inspirou artistas e poetas, como também um local de peregrinação por séculos. Infelizmente não tivemos tempo para levar a iglidur® no topo da montanha.

Um de nossos clientes com nossa bandeira da turnê iglidur®

Além disso, visitamos o lago Kawaguchi.

A turnê pelo Japão já está chegando ao fim. No decorrer da semana o carro saira do Japão, e terá um longo caminho até o Brasil.

Mantenho vocês informados,

Sascha.

Fogo e cinzas.

Quando você dirige milhares de quilômetros, é importante você ter um bom banco. As buchas iglidur® ajudam em manter o seu banco em uma posição confortável. No mundo todo, muitos fabricantes utilizam as buchas da igus® em seus bancos.

É possível usar nossas buchas iglidur® no ajuste da altura do banco, ajuste de inclinação do encosto, encosto da cabeça entre outros locais.

No carro iglidur® utilizamos nossas buchas nos acentos também. Assegurando uma movimentação suave e sem ruídos.

Dependendo do peso da pessoa, as buchas devem aguentar a cargas altas. Com 100N/mm² as buchas iglidur® podem aguentar até mesmo o maior lutador de sumô. Além de aguentar cargas altas, nossas buchas são leves (sete vezes mais leves que buchas convencionais de metal). Uma solução de qualidade e barata para qualquer tipo de banco.

O Japão é composto por quatro grandes ilhas, incluindo o continente com Tóquio e Hiroshima. De Hiroshima fomos a ilha sul de Kyushu.

Kyushu é a terceira maior ilha e é também famosa por seu clima quente. Em todo lugar você pode encontrar fontes de aguas termais. A ultima vez que encontramos isto foi em Taiwan. Fizemos até um pequeno experimento com nossas buchas, mostrando como elas podem sim aguentar altas temperaturas (confira no vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=FsuDpgZZlvc). As nuvens que você pode conferir na foto abaixo, não são nuvens comuns. Elas são formadas pelas aguas termais das montanhas.

O Japão está situado nas bordas de três placas tectônicas. Estão reunidas aqui a Placa do Pacífico, Placa das Filipinas e a Placa da Eurásia. Isso torna o Japão um centro de aguas termais, mas também um foco de terremotos, tsunamis e vulcões ativos. Como nossas buchas alcançam temperaturas altas, nós levamos nosso carro para o Mount Aso. Mount Aso é um dos maiores vulcões ativos no Japão, e está entre um dos maiores do mundo. O solo perto do vulcão é muito fértil, logo o seu redor ficou todo verde.

Antes de chegar ao vulcão já é possível ver a fumaça produzida por ele.

A ultima erupção do vulcão foi em 2011.

Uma erupção seria mais perigoso para nós do que para as buchas iglidur®. Já que elas são resistentes a calor e sujeiras.

De Mount Aso fomos para o norte mais uma vez. Próximo ao continente, passamos por várias de ilhas pequenas.

De lá viajamos próximo a 800 quilômetros até a costa de Nagoya.

No Japão já rodamos mais de 3.000 quilômetros.

Mantenho vocês informados,

Sascha.

De Kyoto para Hiroshima.

Apesar dos avisos de chuva, estamos dando sorte com o clima. Às vezes durante o dia, podemos abaixar a capota do carro e aproveitar o sol.

Índia, China, Coreia do Sul, Taiwan e finalmente Japão. Nós usamos o nosso sistema conversível praticamente todos os dias. E até agora nossas buchas aplicadas neste sistema, não sofreram nenhum tipo de dano enfrentando poeira, sujeiras e umidades extremas. A iglidur® G consegue substituir qualquer tipo de bucha metálica.

A bucha iglidur® G é a bucha mais vendida na igus®. Afinal ela é barata, fácil de montar e tem uma vida útil longa. É a escolha perfeita para aplicações com alta pressão sobre ela e movimentos mais lentos. Um dos clientes que visitamos no caminho para o sul do Japão, planeja em lançar um carro elétrico em breve. Ele irá usar a iglidur® G em várias aplicações.

Antes de deixar Kyoto e seguir para o sul, gostaria de mostrar a vocês um pouco da cultura de dança e concertos que nós experimentamos aqui. Nós tivemos a grande oportunidade de ver o concerto de dança Kyoto Takigi-noh. A dança chamada “noh” é a dança teatral mais famosa e antiga do Japão. Neste tipo de dança não é expressa nenhuma emoção, nem no rosto e nem na voz.

Eles apresentam há 65 anos o mesmo show no famoso santuário Heijan Jingu. Tivemos a sorte de assistir a este show, afinal ele só é exibido uma vez por ano.

Outra forma de dança ou musica respectivamente tem origem chinesa. Ela se chama Gagaku, é um estilo de musica clássica que foi apresentada para a corte imperial por vários séculos.

Após a Dinastia Tang, esta dança desapareceu e apenas algumas pessoas continuaram a manter esta dança viva.

 Do centro tradicional do Japão chegamos ao sul, em Hiroshima. Infelizmente, Hiroshima é conhecida pelo famoso desastre ocorrido em 6 de agosto de 1945. Na sequencia da segunda guerra mundial, os EUA soltou uma bomba nuclear em Hiroshima e Nagasaki.

Este é um relógio que parou de funcionar exatamente no momento da segunda bomba.

Hiroshima era uma das bases dos militares japoneses. Na explosão e nos anos seguintes aproximadamente 100.000 a 150.000 pessoas morreram.

O balão vermelho marca o centro da explosão.

A maioria dos sobreviventes foram crianças, elas foram levadas para uma cidade próxima devido a outros atentados. Com estes ataques, o Japão se rendeu. Isso marca o final da guerra do Pacifico. Nos dias de hoje, os EUA e o Japão são aliados próximos.

Hiroshima foi completamente reconstruída. O gigante memorial localizado no centro lembra os ataques ocorridos e como a população local construiu uma cidade de cinzas. Além disso, Hiroshima foi proclamada a cidade da paz pelo parlamento japonês. Muitos tratados de paz são trabalhados aqui em Hiroshima.

Hoje em dia, ela é uma cidade portuária com cerca de 1,2 milhões de habitantes. De Hiroshima continuamos dirigindo para o Sul e ao um ponto que deixamos o continente.

Mantenho vocês informados,

 Sascha,

Costumes e tradições.

A maioria das pessoas associa a cidade de Kyoto com o famoso protocolo de Kyoto, aonde foi estabelecido obrigações para reduzir a emissão de gases para não causar mais efeito estufa. Poucas pessoas sabem que foi em Kyoto que a Nintendo começou (inicialmente, eles só lançaram um jogo de cartas que não tinha nada a ver com console de games), e provavelmente pouquíssimas pessoas sabem que esta cidade foi a capital do Japão por milhares de anos.

Kyoto é perfeita para ter contato com a cultura tradicional japonesa. As tradições e costumes, em parte são bem visíveis. Por exemplo, você deve obedecer alguns costumes ao visitar clientes. Geralmente, o funcionário que tem o cargo mais alto apresenta os funcionários de cargo mais baixo. O cartão de visita você entrega a pessoa de cargo mais alto. Além disso, como você já deve saber se curvar para saudações ainda é comum no Japão. Eu só aprendi que a curvatura tem apenas três níveis.  O primeiro nível: curvar-se cerca de 10%, é comum entre amigos e colegas de trabalho. O segundo nível: curvar-se cerca de 30%, é mais formal. Você deve se curvar desta maneira quando encontra com alguém mais velho, ou alguém em um cargo mais alto. E o terceiro nível: curvar-se cerca de 45%, simboliza muito respeito a pessoa ou desculpas. Eu sempre me curvo entre 30-45% quando estou em um cliente (só para assegurar que não estou fazendo nada de errado). Eles não ligam se um turista não sabe nada sobre seus costumes, mas eu gostaria de me adaptar a cultura que estou vivendo no momento. Um cliente que eu poderia treinar a cultura japonesa, é um dos principais fabricantes de maquinas têxtil.

Eles estão fabricando maquinas personalizadas e eles estão prontos para lançar novas maquinas. É claro que estas maquinas precisam de uma manutenção, que por curiosidade é bem caro. Portanto, eles estão a procura de produtos livres de manutenção que possa ajudar na vida útil de suas maquinas. A iglidur® e os drylin® podem ajudar a entender a vida útil de suas maquinas. Todos nossos produtos são auto lubrificantes e livres de manutenção. Com a igus® não há necessidade de enviar seus funcionários à procura de fornecedores no exterior varias vezes. E é claro que isto economiza custos.

Muitos fabricantes de maquinas têxtil confiam nos produtos da igus®. Além das buchas iglidur®, nossos mancais igubal® também são utilizados nestas maquinas.  Esta maquina de tricô circular da MAYER & CIE GmbH & Co abaixo, utiliza nossos mancais. Eles previnem contra qualquer falha entre a maquina e os tecidos, por serem livres de lubrificantes e manutenção.

Como Kyoto é um centro tradicional, há monumentos tradicionais por todo lugar.

Pelo menos ao redor do centro da cidade. Você encontrará templos e santuários maravilhosos.

O templo mais famoso é o Kyomizu-dera.

O templo é patrimônio mundial da UNESCO, e está preservado na forma como foi construído. Eles não utilizaram um prego sequer para construí-lo. Na sacada do templo, é possível apreciar uma vista maravilhosa da cidade.

Esta sacada é associada a uma frase antiga japonesa, que traduzida significa “para saltar para fora do palco de Kitomizu”. Antigamente, as pessoas pulavam deste terraço e se você sobrevivesse era dito que seu desejo seria realizado. Duzentos e trinta quatro “pulos” foram registrados e 85.4% sobreviveram. É claro que nos dias de hoje, isso é proibido.

Próximo ao templo há um restaurante escondido que não parece nem um pouco com um restaurante. É um dos restaurantes tradicionais que são abertos para membros exclusivos. Para que você entre nele, é necessário pelo menos duas recomendações e uma entrevista com a dona do restaurante. A dona, é uma senhora de mais ou 70-80 anos, que aprova os candidatos através de conhecimentos e seu comportamento. Ela decide quem merece jantar em seu restaurante. Devido a alguns contatos, tive a oportunidade de jantar lá. No começo ela parecia ignorar meu “mal comportamento”, mas depois ela se sentou ao meu lado e começou a corrigir o que eu fazia de errado. Por um momento, esqueci-me de colocar a colher de sopa fora do prato e no mesmo instante ela retirou a colher para mim. Outro momento quando eu peguei meu celular, instantaneamente ela pediu para meu colega que eu parasse de usa-lo.

 Durante o jantar, tivemos a oportunidade de conhecer duas gueixas.

Gueixas são mulheres tradicionais que atuam como recepcionistas e cujas habilidades incluem várias artes japonesas, como: musica clássica, dança e jogos.

Não é qualquer pessoa que pode falar com elas, apenas algumas pessoas podem fazer isso. Além disso, para se tornar uma gueixa é preciso frequentar uma escola seletiva para isto. O que para muitas pessoas parece estranho é a maquiagem branca na pele.

As gueixas utilizavam esta maquiagem branca numa época aonde velas era a única fonte de luz que existia. A luz de vela o rosto branco se torna rosado e natural.

Japão é uma cidade muito moderna, mas ao mesmo tempo é possível encontrar templos antigos e construções tradicionais. Que te leva a anos e anos atrás. Estou muito animado para conhecer mais deste país fascinante!

Mantenho vocês informados,

Sascha.

Os primeiros 500 quilômetros.

Assim que terminamos a conferência de imprensa, nós saímos para nosso próximo destino no Japão. Nosso primeiro destino foi Isesaki, aonde visitamos nosso primeiro cliente. O departamento inteiro da R&D deram boas vindas assim que chegamos à empresa. Aproximadamente 20 pessoas deram uma olhada em nosso carro e conferiram as novidades dos produtos da igus®

Atualmente, o cliente está testando aonde ele pode usar nossas buchas em seu sistema de escape.  Uma das aplicações poderia ser nas válvulas. Esta aplicação nas válvulas é uma das mais clássicas neste segmento automotivo. No mundo inteiro, centenas de clientes estão confiando nas buchas auto lubrificantes da igus® para este tipo de aplicação

Elas aguentam altas temperaturas sem nenhum problema, além de serem baratas e leves.

Mesmo que Isesaki fique apenas uma hora de distancia de Tóquio, nós demoramos por volta de duas horas para chegar até lá. Primeiro tivemos que passar pelo subúrbio da melhor cidade do mundo. Alguns destes “subúrbios” são maiores que cidades grandes da Europa. E assim que você deixa Tóquio, tudo fica verde.

A estrada nos levou para o centro da ilha. No inverno, as montanhas se transformam em famosas pistas de esqui.

Nos países desenvolvidos, a parte rural está cada vez mais abandonada. Apesar da diminuição da população, as cidades metropolitanas continuam crescendo. Já que a maioria das pessoas que cresceram nesta área rural, deixam de lado a sua cidade natal para enfrentar as cidades grandes.

Nestas vilas também é deixado para trás comidas tradicionais, todas incrivelmente deliciosas. A foto abaixo não são batatas gratinadas, mas sim peixe moído. De alguma forma, se parece com batata e tem uma consistência parecida.

Em uma tarde nós fomos a um restaurante/bar aonde uma senhora cozinhava e servia ao mesmo tempo.  Ela nos serviu a tradicional “comida da avó”. E eu não preciso dizer que a comida da dela é a melhor do mundo, certo?

O karaokê foi inventado no Japão, e é muito tradicional em bares. Parecia que as pessoas presentes ali praticaram a vida inteira. Todo mundo, incluindo a senhora, tinha uma voz bonita e única. O que não contribuía com minha autoconfiança quando era a minha vez de cantar algo. Do bar da avó, nós continuamos até a praia. No meio do caminho, tivemos a chance de visitar um patrimônio mundial da UNESCO.

Esta vila esta preservada como uma vila tradicional. Suas casas são feitas de madeira com telhados de palha.

Do patrimônio mundial, chegamos em Hakui localizado na costa do mar. Como a iglidur® é resistente a água, aproveitamos para levar o carro para dar uma volta pela costa.

As buchas da igus® são resistentes a agua e livres de corrosão. Com base nisso, oferecemos as buchas especiais que são exclusivamente fabricadas para atender a demanda de aplicações sob a água. A iglidur® H, é a nossa especialista com água e é a melhor escolha não somente para aplicações aquáticas, mas também para outros tipos de líquidos e produtos químicos.

Atualmente estamos em Kyoto, aonde teremos uma experiência japonesa muito tradicional. Conto para vocês em breve.

De qualquer forma, mantenho vocês informados.

Sascha.

Página 18 de 22« Primeira...10...1617181920...Última »