Vida útil 2x maior com as buchas autolubrificantes da igus em esteira porta cabos para deslocamentos longos!

Na Hannover Messe, a igus apresentou a nova esteira porta cabos com buchas, a P4.1 para o uso em guindastes e pontes rolantes com monitoração de desgaste inteligente opcional

Para aumentar o tempo de funcionamento de sistemas de guindastes e pontes rolantes, a igus agora combinou suas principais competências da tecnologia de buchas autolubrificantes e esteiras porta cabos. Na esteira porta cabos P4.para deslocamentos longos, novas buchas autolubrificantes tribologicamente otimizadas garantem a montagem isenta de lubrificação dos elos individuais das esteiras. Isso prolonga significativamente a vida útil da esteira porta cabos. Opcionalmente, a esteira porta cabos P4.1 pode fazer parte do conceito de manutenção previsível da igus com um novo sensor de desgaste isense

Durante muitos anos, o sistema P4 tem sido a solução para aplicações desafiadoras. A série de esteiras porta cabos com rolamentos P4 já se comprovou em mais de 1.000 aplicações em guindastes e pontes rolantes no mundo inteiro, com deslocamentos de até 800 metros, altas velocidades de mais de cinco metros por segundo, e vários milhões de ciclos com pouca vibração e pouco ruído. Usando-se buchas integradas no elo da esteira, o atrito é reduzido ao mínimo e a vida útil prolongada ao máximo. Devido à distância entre a parte superior e inferior, os rodízios não passam um sobre o outro, mas deslizam de forma a permitir uma operação suave. Como resultado, o coeficiente de atrito diminui e a força de acionamento é reduzida em 57 por cento. Usuários como o maior fabricante de ponte rolantes do mundo, ZPMC, vêm confiando na esteira porta cabos com rolamentos há muitos anos. Com as buchas autolubrificantes isentas de manutenção feitas de plásticos de alto desempenho, a igus agora levou a esteira porta cabos para outro nível.

Nova P4.1: Combinando duas competências principais

Desde 1964, a igus vem desenvolvendo e fabricando plásticos de alto desempenho para buchas autolubrificantes e esteiras porta cabos livres de manutenção. Através de sua experiência em ambas as áreas e pesquisa de novos compostos plásticos, os desenvolvedores da igus foram capazes de otimizar ainda mais a esteira porta cabos com rolamentos P4.1, de forma a significativamente aumentar a confiabilidade e disponibilidade. Há um ponto de apoio de giro em cada conexão dos elos. Esse agora foi equipado com uma bucha autolubrificantes de tribopolímero livre de manutenção, aumentando a vida útil em mais que o dobro. Assim, os guindastes de contêiners em portos, por exemplo, agora são capazes de alcançar uma vida útil de mais de 15 anos ou mais de 20.000 horas de funcionamento, com pouca necessidade de manutenção e alta confiabilidade.

Trabalho em rede inteligente e manutenção previsível com o isense

Opcionalmente, a nova P4.1 pode ser equipada com sensores de monitoramento, como um sensor de desgaste para as novas buchas deslizantes instaladas. Quando é atingido um limite de desgaste predefinido, ele emite um sinal para o módulo de comunicação igus icom, permitindo planejar a manutenção de antemão. Dependendo das exigências do cliente, os dados do módulo icom podem ser usados diferentemente: com uma integração direta no ambiente de software e solução de intranet existentes para uma pura mensagem de manutenção ou com conexão ao centro de dados da igus para uma previsão inteligente e dinâmica da vida útil. Nesse caso, as recomendações de manutenção através de algoritmos de aprendizado de máquina e IA são constantemente comparadas e definidas de acordo com os dados de várias aplicações existentes. Graças ao trabalho em rede inteligente da esteira porta cabos de rolamentos P4.1, o engenheiro de manutenção pode acessar os dados de vida útil da esteira porta cabos a qualquer hora e em qualquer lugar.

Saiba mais em: http://www.igus.com.br

Santos

São Paulo é o centro econômico do Brasil, porém, a cidade tem um problema : Não há porto marítimo. Devido a isso, tudo que é produzido em São Paulo é transportado para Santos.

Apesar de São Paulo ter 40x mais habitantes que Santos, Santos é de essencial importância para a megalópole. No século 19, navios evitavam balsar na cidade devido à febre amarela que a cidade sofria naquela época. Hoje em dia, navios se acoplam a cada minuto e  o conhecido “porto da morte” é considerado o maior da América do Sul. Nas proximidades do porto, inúmeras empresas de logística gerenciam uma grande porção da exportação mundial de café, bem como uma quantidade significativa de ferro, óleo, carros, laranjas, bananas e algodão.

A fim de facilitar o manuseio, o motorista do stacker é capaz de aumentar o comprimento do braço do guindaste.

 

Essa extensão só é possível com o uso de muita graxa.

Com as guias da igus®, o uso de graxa torna-se uma solução do passado. Essas guias podem ser colocadas no meio de um trilho e asseguram um movimento suave e livre de barulho e lubrificação. Elas estão disponíveis em sete espessuras e são também, resistentes a produtos químicos. Além do mais, elas tem uma grande resistência a desgastes e a umidade. Para mais informações, acesse : http://www.igus.com.br/drylin

Uma vez que os stackers fizeram seu trabalho, guindastes estão carregando os containers nos navios. Esses guindastes precisam de muita alimentação para seu funcionamento. Afim de proteger os cabos de qualquer tipo de mudança climática, indica-se o uso de esteiras porta-cabos igus®. O sistema de cabos da igus® é uma ótima alternativa para barramentos, feston (cortina de cabos) e carretéis.

Existem, em operação, mais de 10.000 aplicações para equipamentos portuários. Infelizmente, não pudemos ter acesso ao porto, mas esses cranes (guindastes) na Coréia do Sul são como os de Santos

 

Com a igus® no topo.

Taipé, a capital de Taiwan, é conhecida mundialmente pelo seu magnifico arranha-céu. O Taipeh 101 foi o maior prédio do mundo por seis anos, até a abertura do Burj Khalifa em Dubai.

Ninguém iria se atrever a trocar o elevador mais rápido do mundo por mais de 2.000 degraus. O elevador demora cerca de 40 segundo do primeiro andar ao octogésimo nono andar. Diferente de todos, o atleta Görge Heimann pratica um esporte diferente. Ele evita elevadores, não por problemas de claustrofobia, mas pelo prazer de subir escadas. O professor de Colônia – Alemanha tem participado da competição “Towerrunning” por muitos anos.

Um juiz mensura cada tempo o tempo de subida de cada corredor. Görge é um dos mais rápidos, e é um dos Tops 10 do mundo inteiro. Desta vez ele corre junto a bandeira da igus® na World Grand Pix Towerruning Cup em Taipei. Juntos pertencendo à elite mundial, juntos buscando a perfeição.

Em 12 minutos e 45 segundos, ele subiu os 2.046 degraus! A foto abaixo foi tirada na competição Towerruning em Las Vegas.

Ele ficou atrás do Australiano Mark Bourne (10:46), que ganhou o ouro. Görge conseguiu ficar em sexto lugar.

Enquanto Görge precisa de um descanso, já que ele subiu as escadas até o topo do prédio. Os produtos da igus® continuam trabalhando dia e noite, sem descanso. Nenhum corredor leva o mesmo tempo para subir e descer prédios como a igus®. Para uma descida segura do elevador, eles confiam em nossas buchas e esteiras. As buchas iglidur® asseguram um movimento suave na abertura das portas do elevador.  E nossas esteiras E-Chain®, protegem os cabos garantindo o fornecimento de energia.

Por exemplo: Os cabos do elevador pendurados sob este elevador do carro (Bonn, Alemanha), foram expostos a corrente de ar constante causada por um sistema de ar forçado para a instalação de alarme de fumaça e isso resultou em movimento lateral indesejável. A combinação de um igus® E2/000 E-Chain® e um duto de chapa agora oferece a estabilidade necessária para o sistema de fornecimento de energia.

Embora o voo de Görge tenha sido na mesma noite da competição, ele não queria sair de Taipei sem conhecer e sentar no carro iglidur®. Enquanto Görge testa seus limites subindo escadas, nosso carro esta fazendo o mesmo. Dirigindo 10.000km ao redor do mundo.