Finalizando a turnê no Brasil!

No começo desta semana aconteceu a press conference da iglidur® on tour no Brasil. Pela primeira vez, a conferência foi depois da turnê. Muitos jornalistas compareceram para ver o carro que estava a três semanas rodando em seu país. Dirigimos mais de 6.000 quilômetros! O Marcelo Pimenta, diretor da igus® Brasil, deu as boas vindas aos jornalistas e contou um pouco da historia da igus®.

Após a apresentação do Marcelo, o gerente de buchas Marcio Marques prosseguiu a apresentação contando sobre a vasta gama de produtos da igus® e mostrando as aplicações das buchas no setor automotivo.

 

Marcio também mostrou aos jornalistas o ponto mais importante da conferência: o carro iglidur®.

Então, eu assumi a conferência explicando sobre as reaplicações no carro e contei sobre a turnê.

Finalizando a conferência, Marcelo retomou a apresentação contando sobre a arrecadação para uma instituição de caridade. Cada quilômetro gerou um euro para a instituição.  O dinheiro arrecadado (R$ 18.000,00) será utilizado para equipamentos em hospital para crianças com câncer.

A conferência seguiu com uma animada discussão sobre o carro iglidur®.

Do local, o carro saiu diretamente para o aeroporto. Vou deixar o Brasil escreverei de novo no frio e gelado Alasca. Vamos passar dois meses viajando todos os Estados Unidos e Canadá.

Mantenho vocês informados,

Sascha.

Do sul ao norte.

Musica clássica, lustres e uma comida fantástica. Não, não estou falando de um restaurante cinco estrelas em Paris, mas sim sobre a conferência de imprensa da iglidur® on tour na Coreia do Sul.

Sobre a voz de Ernie Kim (diretor da igus® Coreia), foram dadas as boas vindas para os jornalistas e aberta a quarta conferência da iglidur®.

O Sr. Hyungtea Kim (gerente de produtos para buchas), seguiu nos mostrando várias possibilidades de aplicação no seguimento automotivo, e nos apresentou toda a gama de produtos da igus®

E por ultimo, mas não menos importante… Eu apresentei toda a readaptação do carro, e compartilhei toda a minha experiência com a turnê durante estes três meses (Sim, já são três meses! O tempo passa muito rápido).

Foi uma ótima conferência com mais jornalistas que eu esperava. Foi a primeira vez que uma conferência aconteceu no meio da turnê, já estamos em turnê aqui a mais de uma semana.

Como a Coreia do Sul é um país digamos que “pequeno” (em comparação com os outros países que viajamos) podemos não só ver paisagens de todo tipo, mas também vários locais históricos. Lembrando que nossas buchas são livres de corrosão, portanto, podemos ter contato com a agua salgada, foi natural que acabamos visitando o mar da Coreia.

Nosso primeiro destino foi a Donghea. Donghea, é uma cidade portuária tradicional que não é só feita apenas de pequenos restaurantes de frutos do mar (tinha uma rua que abrigava dez restaurantes do mesmo segmento uma ao lado da outra), mas também tem uma bela praia de areia branca que se estende ao longo da costa por vários quilômetros.

De Donghea seguimos para o norte junto a costa. A paisagem foi mudando aos poucos para grandes montanhas. Paramos na paisagem mais famosa da Coreia do Sul. E para falar a verdade, foi uma das paisagens mais bonitas que eu já vi em toda a minha vida.

As montanhas de Taebaek esta localizada num parque nacional. O formato das montanhas, as dúzias de cachoeiras e a variedade de animais selvagens fazem deste lugar um dos maiores destinos para turistas na Coreia.  Nós subimos a montanha Seoraksan (1.708 metros) que é uma das montanhas mais famosas  dos montes Taebaek. E de lá tivemos uma vista incrível!

 

Depois de conseguirmos colocar uma bandeira da igus® no topo da montanha, seguimos em frente para o norte até não um ponto que não conseguimos mais seguir em frente.

Após a Guerra da Coreia, nos anos cinquenta, uma faixa de terra foi estabelecida como uma zona tampão que é o alongamento de 2 km de cada lado. Esta faixa de terra, também chamada de Zona Desmilitarizada (DMZ), foi trabalhada entre a Coreia do Norte, Coreia do Sul, China e as Nações Unidas como parte de um acordo. Depois de um longo processo de registro, foram autorizados a entrar na zona com a iglidur ®.

Durante todo o tempo da existência da linha de demarcação, a Coreia do Sul descobriu quatro túneis que foram escavados pelo Norte. Estes túneis serviriam para uma possível invasão do Norte para infiltrar espiões e assaltantes para o sul. Tivemos a oportunidade de visitar o que foi detectado pela última vez.

Já estamos em Seul, e não tínhamos sentido que existe uma ameaça do norte. Mas se você olha atentamente, você percebe que a situação tem sido séria o tempo todo. Este lançador de foguete abaixo se localiza em uma montanha de Seul, e serve para interceptar possíveis foguetes da Coreia do Norte.

Isso é tudo por hoje.

Mantenho vocês informados.

Sasha.