Foz do Iguaçu.

De Bento Gonçalves (cidade famosa por seus vinhos) seguimos em frente até um dos locais mais bonitos do mundo inteiro. Estávamos a 900 quilômetros de Foz do Iguaçu, e demoramos 17 horas para chegar até lá. Começamos a viajar as sete horas da manhã e chegamos ao nosso destino a meia noite.

Além de errar o caminho em alguns momentos enfrentamos um clima muito frio, estradas sujas e muito transito. Em certo ponto, ficamos parados por uma hora sem nos mover.

O que foi extremamente cansativo para nós, não foi para nossas buchas iglidur®. Elas são resistentes a sujeiras e água. Além disso, já rodamos mais de 28.000 quilômetros e elas estão funcionando perfeitamente bem.

As estradas para chegar às Cataratas do Iguaçu eram com bastantes curvas e próximas a florestas e montanhas. Para dirigir em estradas deste tipo, é preciso ter uma ótima direção que funcione perfeitamente e leve para girar. Auto lubrificantes, as buchas iglidur® já demonstra seu ótimo desempenho em direções de carros do mundo inteiro. Elas asseguram um giro suave do volante.

Assim que chegamos as Cataratas, às dezessete horas de viagem foram esquecidas. Elas são de tirar o folego.

Elas demonstram a beleza da natureza e o seu grande poder.

É incrível a quantidade de água que flui a cada segundo aqui.

Para dar uma noção de sua grandeza, o fluxo de agua nas Cataratas do Iguaçu é três vezes maior do que as Cataratas do Niagara.

Não é possível ver as Cataratas por completo (pelo menos não do local onde estávamos), já que elas ocupam um comprimento de 2,7 quilômetros junto a 275 quedas d’água.

Este lugar tem fascinado pessoas por séculos. Uma lenda conta que um Deus criou estas cataratas. Ele estava prestes a casar com uma mulher, mas a viu fugindo com seu amante em uma canoa. Com raiva, ele partiu o rio Iguaçu criando as cataratas e condenando o casal a eterna queda. As cataratas fazem divisa entre o Brasil, Argentina e Paraguai. E é possível ver as cataratas em todos esses países. Fique surpreso em como é possível chegar perto das cataratas, pois existe uma passarela que lhe permite chegar bem próximo.

Em certo ponto, você fica cercado por águas.

O Parque Nacional é casa de diversos animais. Por exemplo, em todo lugar é possível ver guaxinins.

Não é possível entrar com carros, você é obrigado a andar a pé ou por transporte público. Os ônibus do parque fazem uso das nossas buchas iglidur®, confira mais aqui: http://goo.gl/7c7vgg

Próximo às cataratas, existe uma grande obra da engenharia. A usina hidrelétrica de Itaipu, é um projeto que está situado entre o Brasil e o Paraguai.

A barragem é a maior usina hidrelétrica em termos de geração de energia anual. Ela produz cerca de setenta por cento da eletricidade consumida em todo o Paraguai.

Em 1994, a Sociedade Americana de Engenheiros Civis elegeu a barragem de Itaipu como uma das sete maravilhas modernas do mundo.

Neste momento, estamos no caminho de volta para São Paulo. A turnê no Brasil chega ao fim. Na segunda-feira, após a conferência de imprensa, o carro vai deixar para o Alasca.

Mantenho vocês informados,

Sascha.