Chicago, IMTS e o carro iglidur.

Estamos viajando sem parar pelos Estados Unidos, de cidade a cidade. Então vamos recapitular algumas cidades que passamos.

Chicago, a Nova Iorque da região centro-oeste dos Estados Unidos.  Quando a iglidur® on tour chegou a Chicago participamos da feira IMTS – The International Manufacturing Technology Show junto ao estande da igus®. Como ela é uma das maiores feiras na América do Norte a expectativa era de mais de 100.000 pessoas para a feira. Milhares de pessoas visitaram nosso estande da igus® nos seis dias de feira. Para que você possa imaginar, o estande estava tão cheio que muitas vezes nós éramos um dos últimos a fechar no final de cada dia.

Assim que o carro iglidur® apareceu fora da feira, ele começou a receber bastante atenção, desde visitantes da IMTS como editores de revista do mundo inteiro. Tivemos atenção até mesmo por uma mídia da Alemanha, que filmou o nosso carro para um programa de televisão! Eles disseram que o carro (provavelmente devido a seu tamanho minúsculo) foi o ajuste perfeito para o seu filme.

Estande da igus® na feira IMTS.

A bucha iglidur® é utilizada em várias aplicações automotivas. 56 buchas estão sendo testadas em todos estes últimos meses dentro do carro iglidur. Outra aplicação no setor automotivo é em portas de ônibus. A iglidur® G300 é a solução perfeita para sistemas de dobradiças, já que ela é capaz de aguentar cargas altas com facilidade. É resistente a sujeira, resistentes a corrosão e também podem compensar no deslizamento.

Mesmo participando de feiras e visitando clientes conseguimos conhecer um pouco de Chicago. Paramos no famoso teatro de Chicago, conhecemos o Millenium Park que está localizado as margens do lago Michigan e foi inaugurado em 2004.

Conhecemos também o museu de arte de Chicago, onde vários quadros de grandes artistas estão expostos. Como Vincent Van Gogh, Claude Monet, Rene Magritte e Georges Seurat.

“A Sunday on La Grande Jatte” por Georges Saurat.

O carro também dirigiu pela famosa Michigan Ave, equivalente a Quinta Avenida em Nova Iorque ou Rodeo Dr. em Los Angeles. Enquanto passamos por ela vimos arranha-céus gigantes, como o edifício John Hancock, a Torre Willis e o edifício Trump.  No edifício John Hancock há um restaurante no topo do edifício, dando uma vista panorâmica da cidade. Este edifício é o sétimo edifício mais alto de os EUA e tem a mais alta piscina da América localizada no piso 44.

A Torre Willis originalmente era chamada de Torre Sears. Em 1973 quando foi finalizado, o edifício foi considerado o mais alto do mundo, superando o World Trade Center e mantendo o titulo por 25 anos. Hoje em dia, é o segundo maior prédio dos Estados Unidos, perdendo apenas para o edifício Freedom nos Estados Unidos.

Chicago é conhecida por seus arranha céus e também por sua comida única. Nosso local preferido é o Garrett’s popcorn, um local aonde vende pipocas de diversos sabores.  A pipoca mais incrível é a caramelada com cheddar. Este local é tão famoso que é normal você encontrar pessoas pela rua com baldes e baldes desta pipoca.

Assim que conhecemos bastante Chicago seguimos em frente para Michigan.

Mantenho vocês informados,

Kayla.

Wisconsin

A primeira parada em Wisconsin foi à cidade de Milwaukee, a maior cidade do estado e uma das cidades mais populosas do Estados Unidos. Milwaukee é uma cidade engraçada com muita coisa para se fazer.  Há um ótimo museu de arte, o lago Michigan, o campo de baseball Miller Park que é casa do Brewers, além de outros pontos turísticos.

Como mencionei acima, o carro iglidur® conheceu alguns dos pontos turísticos da cidade. Passamos pelo museu de arte, o campo de baseball, um mercado a céu e logo após chegamos ao lago Michigan. No mercado é possível encontrar comida fresca e artesanato. Há também musica ao vivo e artistas perfomando pela rua.

Centro de Milwaukee, o canal liga as lojas da cidade.

Os fundadores do mercado buscaram inspiração em outro mercado situado em Seattle, o Pike’s Place.

Em frente ao lago Michigan.

Junto ao carro, ficamos hospedados no hotel Pfister, conhecido como um dos hotéis mal assombrados do país. Os donos do hotel, Guido Pfister e seu filho Charles, inauguraram o Pfister em 1893 após uma construção que custou mais de um milhão de dólares. No hotel é possível encontrar a maior galeria de “Victorian Art” no mundo.

Em frete ao Hotel.

Há uma sensação de tristeza nos salões do hotel, portas estralando o tempo todo e a impressão de estar ao lado de um fantasma o tempo todo. E há boatos de que o fantasma do Charles Pfister (filho de Guido Pfister) paira pelos corredores do Hotel.

Corredores do Hotel, bem parecido com as cenas do filme “O Iluminado”.

Ficamos tristes de deixar o hotel e Milwaukee, mas precisávamos chegar ao norte de Appleton para visitarmos alguns clientes.

Antes de chegarmos em Appleton, nós paramos em um fabricante de sistemas de lavadores de carro, que utilizam nossas esteiras porta cabos. Enquanto o lavador se mexe, as esteiras porta cabos conduzem os cabos em segurança. Aproveitamos e lavamos o carro na empresa.

As visitas em seguida foram em companhias que fabricam equipamento agrícola. Estes clientes adoram as vantagens das buchas iglidur®. Já que com elas seus equipamentos conseguem uma durabilidade maior.

Por suas resistências a produtos químicos, as buchas iglidur® não são afetadas por fertilizantes. Além disso, as buchas podem trabalhar tranquilamente em ambientes sujos e sem danificação dos equipamentos.

De Milwaukee seguimos para a feira em Chicago “IMTS trade show”.

Continue nos acompanhando,

Kayla.

De Wyoming para o Monte Rushmore – Dakota do Sul.

Dirigimos de Denver – Colorado até Dakota do Sul (Mount Rushmore), e demoramos cerca de 6 horas. Na viagem, passamos pelo estado de Wyoming e vimos animais que ainda não tínhamos encontrado pela turnê. Wyoming é exatamente o que nós esperávamos: hectares e hectares de terra plana com pouquíssima população. Parecia que tínhamos voltado para Yukon (Canadá) aonde encontrávamos mais com animais do que pessoas no dia a dia. Mas, desta vez, em vez de pinheiros, montanhas e ursos nós encontramos apenas terra plana, fazendas e vacas.

As paisagens de Wyoming.

Campos de Girassóis.

Há muitas semelhanças entre esses trechos da estrada com as buchas iglidur®. À primeira vista, não há nada em especial: trechos de terra com ninguém por perto por vários quilômetros. Assim como nossas buchas, a primeira vista são apenas leves, pequenas e em polímero. Mas quando prestamos mais a atenção, a estrada se transforma em uma linda paisagem. O mesmo acontece com nossas buchas, que são inovadoras na tecnologia de buchas em polímero. Além de serem leves e com reforço de fibras, as buchas iglidur® obtêm partículas microscópicas de lubrificante sólido. Isso significa que não é necessário adicionar graxa ou qualquer tipo de lubrificantes em nossas buchas.

Quando chegamos ao estado de Dakota do Sul, passamos por Hill City. Hill City é uma pequena cidade com uma população de 950 habitantes.  A cidade lembra um filme de velho oeste, pois a fachada dos restaurantes e as portas são iguais aos filmes clássicos de velho oeste. Todas as lojinhas são a extremamente antigas e a todo o momento nas estradas é possível encontrar animais esculpidos em madeiras.

Hill City.

“Jaw Breakers”, um doce tradicional americano.

Hamburger americano, servido nos famosos “Saloons” inspirados no velho oeste.

Logo após Hill City chegamos ao Monte Rushmore, um dos pontos turísticos mais famosos dos Estados Unidos. Neste monte é possível ver os rostos esculpidos dos presidentes (da esquerda para direita) George Washington, Thomas Jefferson, Theodore Roosevelt e Abraham Lincoln. Os autores que esculpiram o Monte foram Danish-American Gutzon Borglum e seu filho Lincoln Borglum. Já o criador da ideia foi Doane Robinson, como historiador de Dakota do Sul, ele escolheu este local para promover o turismo na região.

Inicialmente, Robinson pensou em colocar quatro heróis na montanha, como: “Lewis and Clark” ou “Buffalo Bill Cody” e “Red Cloud”. Mas Borglum achou que a escultura deveria ter mais foco em algo mais patriota. O projeto demorou 14 anos e foi finalizado em 1941, com 400 pessoas trabalhando continuamente. Os presidentes foram escolhidos por causa de seu papel na preservação da República e expandir seu território.

Cerca de três milhões de pessoas veem até Dakota do Sul para ver a grande escultura. Como americana, ver a montanha esculpida foi um pouco decepcionante. Estamos acostumados a ver esta imagem em livros e cartazes sempre de uma mesma forma. O que não acontece quando vemos de verdade. Até mesmo pelo difícil acesso a montanha.

A próxima parada em Dakota do Sul foi a Sioux Falls, demoramos cerca de seis horas de viagem também. Durante a viagem, fizemos algumas paradas. Em uma delas visitamos a “1880 Town”. Para quem já assistiu ao premiado filme “Dança com Lobos”, estrelado por Kevin Costner, este foi o local aonde o filme foi filmado.

O carro iglidur® ao lado de um carro antigo.

Sioux Falls também é conhecida como “O coração da América”. É a maior cidade do estado e sua população em 2013 era de 165.000 habitantes. Conhecemos a cidade rapidamente, tivemos uma rápida refeição e voltamos para a estrada.

Estamos agora indo para Minneapolis!

Mantenho vocês informados,

Kayla.

Colorado.

De Salt Lake City fomos para Colorado. De Utah até Colorado dirigimos em volta de desertos e montanhas, foi incrível! O deserto de Moab é um famoso pelo parque nacional de Utah e o carro iglidur® aceitou a aventura de dirigir sobre o deserto de Moab. A estrada junto ao deserto passa por quilômetros e quilômetros de arcos de pedra vermelha e outras formações rochosas. Um ponto famoso neste deserto de pedras é a “Balanced Rock”, onde uma pedra gigante está sobre outra pedra, e temos a impressão de que ela irá cair a qualquer momento. Moab foi incrível, quase equivalente ao Grand Canyon.

Os famosos arcos de Moab.

Uma das “Balanced Rocks”

De Moab dirigimos até a cidade de Golden – Colorado, bem próxima de Denver (capital do Colorado). Passamos por Denver no caminho e visitamos outro parque nacional. O “Garden of the Gods” fica em Colorado Springs. Em 1971 este parque foi considerado um marco natural. O “Jardim” é considerado uma miniatura das formações rochosas de Moab.

Em Denver visitamos nossos queridos clientes, desta vez um fabricante de suspensão para bicicletas. Eles estão pensando em trocar suas buchas por nossas buchas em polímero iglidur®. Muitos fabricantes adoram nossas buchas, pois elas são mais baratas e fornecem um ótimo desempenho por um preço baixo. Enquanto outras buchas baratas precisam ser repostas rapidamente, as buchas iglidur® são testadas diariamente em nosso centro de testes. Com isso podemos fornecer a melhor bucha com alta resistência a desgaste e baixa fricção entre outras vantagens.

Além das vantagens, as buchas iglidur® tem uma imensa gama de certificados especiais. Nossa bucha é a melhor solução para fabricantes em quase todo setor.

Fizemos uma parada rápida na Academia de Forças Armadas de Denver. A academia abriga 4.000 estudantes, têm aproximadamente 10 mil hectares de extensão e fica abaixo de muitas montanhas. A escola abriga a Capela “Cadet” que foi construída em 1963 (apenas um ano depois da inauguração da igus). A Capela é baseada em várias religiões. Dentro da capela existem mosaicos de vidro colorido que revestem as paredes. Ao fundo da capela existe um órgão gigantesco.

A Dry-Tech® box no pátio da academia.

Capela Cadet

O campus

Pikes Park é a montanha mais visitada na América do Norte. E não há problemas em subir estas montanhas com nossas buchas iglidur®, já que elas conseguem trabalhar até em temperaturas baixas. Quando começamos a subir a montava, a temperatura estava em 13°C que mudou rapidamente para -2°C quando chegamos ao topo. Não foi problema algum para nossas buchas, já que elas aguentam a temperaturas de -100°C! Consequentemente, o clima também abaixou junto à temperatura. Chegamos ao topo perfeitamente bem junto com a nossa dry-tech® box.

Vista da rodovia no topo do Pikes Park

Estamos a caminho de Mount Rosumore em Dakota do Sul!

Mantenho vocês informados,

Kayla.

São Francisco e Los Angeles

Antes de chegarmos a São Francisco paramos em no parque Wuir Woods para ver as famosas árvores californianas Redwood. As árvores parecem ser altas como arranha-céus e seus troncos são gigantescos!

Quando tentamos tirar uma foto da caixa dry-tech® nas árvores, ela caiu em um buraco cheio de água. Mas não tem problema, a caixa dry-tech sobreviveu sobre a queda e a agua. Lembrando que nossas buchas absorvem impacto e são a prova d’agua.

Do parque Muir Woods nos aproximamos de São Francisco. Dirigimos sobre a famosa Ponte Golden Gate para chegar a São Francisco. A cidade estava inteira nebulosa quando chegamos.

Conhecemos um pouco a cidade e logo após fomos visitar nossos clientes. A primeira parada foi em uma empresa que é especializada em fabricação de equipamentos medicinais. Logo após paramos em Santa Clara, aonde visitamos um fabricante de bicicletas.

Em São Francisco, o carro não teve problemas em andar nas ruas íngremes. Rodamos da vista panorâmica para a Ponte Golden Gate e da Prisão Alcatraz até a famosa rua em zig zague Lombard. O freio de mão estava sendo usado a todo instante, que é essencial nas ruas de São Francisco e colocando nossas buchas em teste. Tivemos permissão para fazer o mesmo caminho que os bondes fazem. Visitamos também o famoso shopping center Pier 39 e a fabrica de chocolate Ghiradelli.

Lombard Street

Prisão Alcatraz

Pier 39

São Francisco tem um “clima” retro com bastante turistas.  Além disso, os frutos do mar da cidade são incrivelmente deliciosos e frescos.  Além disso, na baia de São Francisco acontece uma copa de veleiros da América. Então nos despedimos do clima místico de São Francisco e dirigimos para Los Angeles ao sul.

Em Los Angeles nós visitamos dois clientes. O primeiro foi um fabricante de carros elétricos, conhecidos por seu estilo inovador e elegante. Os engenheiros ficaram impressionados com a extensão de aplicação para o carro. Nosso segundo cliente é uma empresa que cria soluções para medições destinadas a melhorar a qualidade de produtos e produtividade para muitos equipamentos de fabricação. Um dos gerentes disse que a palavra que define a igus® é “excelência”, nada melhor que a confiança em nossos produtos iglidur®.

Após as visitas era hora de conhecer o centro de Las Vegas. Após passarmos por muito transito, o carro iglidur® teve a experiência de passear na calçada da fama, conhecer o letreiro de Hollywood, o Bevery Hills Hotel e ainda passou perto de duas celebridades.

O carro iglidur® na calçada da fama

No momento estamos em Las Vegas.

Mantenho vocês informados,

Kayla.

Seattle e Portland

Nós deixamos Vancouver e voltamos para os Estados Unidos para o nossos últimos destinos: Seattle e Washington. Seattle é a maior cidade da região noroeste e é a cidade com o crescimento mais rápido nos Estados Unidos. A cidade é vibrante como o centro dela, aonde abriga várias coisas legais. O Pike’s Place Market é uma feira aonde você pode experimentar variedades de frutos do mar, frutas frescas e ervas. A feira foi inaugurada em 1907, e funciona até hoje. O “mercado ao ar livre” recebe milhares de turistas todos os dias.

O carro iglidur® em frente a uma parede de chicletes em Seattle.

Antes de sairmos de Seattle e seguirmos para Portland, o carro foi levado para conhecer o Obelisco Espacial.

O Obelisco Espacial é uma famosa torre de Seattle, aonde é possível chegar ao topo e ter uma visão da cidade inteira. Quando inaugurada, em 1962, aproximadamente 20.000 pessoas por dia visitaram a torre.

Visitamos um fabricante de equipamentos fitness que colocou nossos produtos no topo de compras. Fizemos um tour pela fabrica deles, aonde vimos nossas buchas sendo utilizadas em várias aplicações. As buchas iglidur® podem diminuir o ruído e a manutenção dos equipamentos. A auto lubrificação e o baixo atrito de nossas buchas mantem a operação silenciosa e elimina toda sujeira dos lubrificantes.

Aplicação da iglidur® em um equipamento fitness.

A iglidur® W300® é a melhor solução para equipamentos de exercícios. Já que ela possui um baixo coeficiente de fricção e alta resistência.


Montagem do carrinho para visitas.

Após sairmos de Seattle, chegou a hora de seguir em frente para Portland. Portland é uma cidade única e famosa por suas comidas. É muito comum encontrar carrinhos de comida pela cidade com grandes variedades. Com essa variedade de comida, cada um de nós escolheu um local para comer.


Vários carrinhos de comida por Portland.

Depois visitamos a Powell’s Books, uma rede de livrarias localizada em Portland.  Esta livraria afirma ser a maior livraria independente de livros usados e novos no mundo inteiro. A livraria é separada por cores, para que seja mais fácil identificar o gênero que você procura.

Nossa próxima para será em São Francisco, aonde nosso carro irá dirigir sobre a famosa Ponte Golden Gate.

Mantenho vocês informados,

Kayla.

Montanhas

Abandonados na floresta com nada além de árvores. Esse foi o começo da turnê iglidur® no Alasca. O maior estado dos Estados Unidos com a menor população.

Atualmente, a população do Alasca é de 710.000 com uma área de 946.097 quilômetros quadrado. Maior que o segundo, terceiro e quarto maiores estados dos Estados Unidos (California, Texas e Montana). A primeira parada da turnê pela América do Norte é Anchorage em Alasca. Aproximadamente metade da população do estado mora aqui. Passamos por alguns pontos turísticos, como o Ship Creek, um local para pesca de salmão. O salmão que você vê saindo da água poderia facilmente alimentar dez pessoas ao mesmo tempo.

Outro ponto turístico interessante é a montanha Flat Top.  Fizemos uma incrível caminhada por lá.

A cidade de Anchorage é cheia de lojas que é possível ver pelos Estados Unidos inteiro, como o Starbucks, Barnes e Noble. Tornando-o um ótimo lugar para estocar suas necessidades para longas caminhadas fora da cidade por um grande período. Para a preparação da nossa viagem precisamos estocar gás, água, lanternas e baterias. Estocamos tudo isso na cidade, já que nossa viagem até Tok tem cerca de 10 horas de carro. Durante a viagem, ficamos ao redor de montanhas e sem sinal para o celular.

Você precisa andar cerca de 20 quilômetros fora de Anchorage para se encontrar no meio do nada. Ao nosso redor estávamos apenas no meio da natureza.

Muitas vezes enfrentamos estradas em condições péssimas.  O que não é um problema para nossas buchas iglidur®, já que elas são fabricadas para enfrentar choques e vibrações.

Não existe uma civilização de “verdade” fora de Anchorage, você consegue encontrar casas de pessoas que resolveram sair da civilização e viver longe de tudo. Tok, é uma pequena cidade fantasma com nenhuma população por quilômetros. Nós chegamos bem tarde por lá, quase 1:30 da madrugada, e fomos informados que o hotel que iriamos ficar estava esgotado. Mas tivemos sorte, havia um hotel próximo e conseguimos nos hospedar.

No segundo dia, nós chegamos ao sudeste de Tok onde está a fronteira com o Canadá.

Nosso carro está sendo motivo de curiosos em postos de gasolina. Pessoas nos perguntam sobre o carro, tiram fotos e querem saber como está sendo a viagem. Atualmente, continuamos dirigindo com cerca de 3.000 quilômetros antes de chegarmos ao nosso primeiro destino, Vancouver – Canadá. Ao longo do caminho, nós planejamos parar em Whitehorse e Tatogga Lake, tanto em British Columbia, no Canadá.

Fique ligado para mais novidades em breve,

Atenciosamente.

Finalizando a turnê no Brasil!

No começo desta semana aconteceu a press conference da iglidur® on tour no Brasil. Pela primeira vez, a conferência foi depois da turnê. Muitos jornalistas compareceram para ver o carro que estava a três semanas rodando em seu país. Dirigimos mais de 6.000 quilômetros! O Marcelo Pimenta, diretor da igus® Brasil, deu as boas vindas aos jornalistas e contou um pouco da historia da igus®.

Após a apresentação do Marcelo, o gerente de buchas Marcio Marques prosseguiu a apresentação contando sobre a vasta gama de produtos da igus® e mostrando as aplicações das buchas no setor automotivo.

 

Marcio também mostrou aos jornalistas o ponto mais importante da conferência: o carro iglidur®.

Então, eu assumi a conferência explicando sobre as reaplicações no carro e contei sobre a turnê.

Finalizando a conferência, Marcelo retomou a apresentação contando sobre a arrecadação para uma instituição de caridade. Cada quilômetro gerou um euro para a instituição.  O dinheiro arrecadado (R$ 18.000,00) será utilizado para equipamentos em hospital para crianças com câncer.

A conferência seguiu com uma animada discussão sobre o carro iglidur®.

Do local, o carro saiu diretamente para o aeroporto. Vou deixar o Brasil escreverei de novo no frio e gelado Alasca. Vamos passar dois meses viajando todos os Estados Unidos e Canadá.

Mantenho vocês informados,

Sascha.

Santa Catarina

Brasil é um dos maiores produtores do setor agrícola do mundo. Todo ano, milhões de toneladas de soja, cana de açúcar, etanol e café é colhido.

Para isso, diversos tipos de máquinas são necessário, a igus® ajuda a melhorar a performance de máquinas agrícolas tais como : Pulverizadoras, tratores no geral, etc. Especialmente em aplicações desse tipo, você precisa de soluções que melhorem as condições da terra para o plantio.  Por não necessitarem de lubrificação, as buchas igus® são perfeitas para qualquer tipo de maquinário agrícola. (Para mais informações, acesse : http://www.igus.com.br/iglidur)

 

A Kuhn é uma das empresas líderes na fabricação de maquinário agrícola. Foi fundada em 1828 e conta, hoje, com mais de 3000 funcionários. Eles confiam nos produtos igus® para suas máquinas pulverizadores, dê uma olhada na entrevista para saber mais :

https://youtu.be/Zxi2CxSC7S4

Nós saímos de São Paulo com destido ao sul. No caminho, passamos em Curitiba, que foi uma das cidades oficiais da Copa do mundo FIFA.

O estádio que suporta até 40000 pessoas, é equipado com milhares de cadeiraas que utilizam nossas buchas auto-lubrificantes igus® GLW.

Cada uma das novas cadeiras brancas contém seis buchas igus®, duas para assegurar o movimento enquanto as outras quatro são pontos fixos.

iglidur® GLW é uma bucha barata para produção em massa. É mais usada em aplicações de carga estática, onde existe movimentações esporádicas (Para mais informações, acesse : (http://www.igus.com.br/wpck/5441/N09_3_06_GLW?sop=1)

Mais cadeiras serão substituídas em breve. Na briga entre plástico X metal, plástico está a frente. Também pudemos levar o carro até o campo.

Tivemos uma matéria no site do time do Atlético Paranaense, veja só : http://www.atleticoparanaense.com/site/noticias/detalhe/34937/Carro-da-Igus-que-passar-por-30-pases-esteve-na-Arena

Antes e após as partidas, os torcedores relaxavam no jardim botânico das proximidades.

De curitiba, fomos à Joinville, cidade conhecida bastante pelo seu interesse pelo ballet.

Joinville tem o único subsídio da famosa academia de ballet Bolshoi (Moscow)

Aqui, eles têm estudantes de toda a América do Sul. Uma vez que o dançarino é aprovado no processo seletivo (aproximadamente 40 à 500 candidatos), a escola paga a acomodação assim como os custos de vida do estudante.

Joinville também é conhecida por boa parte do início da história do Brasil, com a imigração de alemães.

Brasileiros e alemães são a grande maioria que moram no sul do país. Se levarmos em consideração o dialeto alemão juntamente ao português, é notável que alemão é a segunda língua mais falada. O governo brasileiro conduziu uma pesquisa em 2000, no qual mostrava 12 milhões de cidadãos com raízes alemães. Muitos deles chegavam no estado de Santa Catarina.

Hoje em dia, Pomerode é considerada a cidade com mais alemães do Brasil. 50% de sua população sabe falar alemão.

Alemão ainda é a primeira língua que eles aprendem na escola, assim como a festa anual “Pommerfest” que é feita há décadas.

A casa abaixo é a mais velha em Pomerode, construída em 1860.

Não tão longe de Pomerode, está Blumenau. Uma vez ao ano, o “Deutsche Ville Park” é o ponto de encontro para a terceira maior Oktoberfest do mundo.

Pudemos apresentar nosso carro na entrada. Várias pessoas estiveram curiosa sobre como o carro viajou o mundo. Até as princesas da última Oktoberfest posaram para uma foto com o carro.

Atualmente, estamos à caminho de Florianópolis. No meio da viagem, passamos por essa praia estonteante.

Manteio-lhes informados,

Sascha.