Santos

São Paulo é o centro econômico do Brasil, porém, a cidade tem um problema : Não há porto marítimo. Devido a isso, tudo que é produzido em São Paulo é transportado para Santos.

Apesar de São Paulo ter 40x mais habitantes que Santos, Santos é de essencial importância para a megalópole. No século 19, navios evitavam balsar na cidade devido à febre amarela que a cidade sofria naquela época. Hoje em dia, navios se acoplam a cada minuto e  o conhecido “porto da morte” é considerado o maior da América do Sul. Nas proximidades do porto, inúmeras empresas de logística gerenciam uma grande porção da exportação mundial de café, bem como uma quantidade significativa de ferro, óleo, carros, laranjas, bananas e algodão.

A fim de facilitar o manuseio, o motorista do stacker é capaz de aumentar o comprimento do braço do guindaste.

 

Essa extensão só é possível com o uso de muita graxa.

Com as guias da igus®, o uso de graxa torna-se uma solução do passado. Essas guias podem ser colocadas no meio de um trilho e asseguram um movimento suave e livre de barulho e lubrificação. Elas estão disponíveis em sete espessuras e são também, resistentes a produtos químicos. Além do mais, elas tem uma grande resistência a desgastes e a umidade. Para mais informações, acesse : http://www.igus.com.br/drylin

Uma vez que os stackers fizeram seu trabalho, guindastes estão carregando os containers nos navios. Esses guindastes precisam de muita alimentação para seu funcionamento. Afim de proteger os cabos de qualquer tipo de mudança climática, indica-se o uso de esteiras porta-cabos igus®. O sistema de cabos da igus® é uma ótima alternativa para barramentos, feston (cortina de cabos) e carretéis.

Existem, em operação, mais de 10.000 aplicações para equipamentos portuários. Infelizmente, não pudemos ter acesso ao porto, mas esses cranes (guindastes) na Coréia do Sul são como os de Santos

 

Carnaval no Rio.

Todo ano em Fevereiro, o Rio de Janeiro se transforma na maior festa carnavalesca do mundo inteiro. Todos os dias há milhares de pessoas na rua festejando.  Um dos eventos mais famosos são os desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro, com vários carros alegóricos e fantasias.

Na competição das escolas há quesitos a serem votados de bateria, criatividade nas fantasias e etc… O desfile acontece em uma única rua, conhecido como sambódromo. E é necessário comprar um ingresso para assistir. Para as pessoas que não conseguem comprar o ingresso, existem câmeras transmitindo o desfile em todo lugar. Algumas delas são controladas por controle remoto, e elas podem se mover por metros e metros junto o desfile. Na foto abaixo é possível visualizar o trilho da câmera.

Este trilho de 320 metros de comprimento está equipado com um dos nossos Drylin®, que garante um movimento suave e sem ruídos.

O Drylin® WS 28 garante que haja nenhum problema enquanto a câmera se move a 60km/h. As redes de televisão vem confiando na igus® há mais de 3 anos. Mesmo enfrentando frio, calor e chuvas, o trilho continua intacto e funcionando perfeitamente.

Exemplo de Drylin® para cameras:

Rio de Janeiro.

Nós viemos do verão para o inverno, do Japão ao Brasil o clima mudou. Teoricamente estamos no inverno no Brasil, mas é como se não estivesse. Pelo menos não no Rio de Janeiro.

Está 30 graus e a minha cara está toda queimada (mesmo usando um protetor solar fator 50). As buchas do nosso carro conseguem aguentar este calor mais do que eu. Elas estão funcionando perfeitamente bem, o que não é uma surpresa. Uma de nossas buchas, a iglidur® X, costuma aguentar temperaturas acima de 250C.

Após buscarmos o carro da inspeção, nós fomos diretamente visitar um de nossos clientes.  Localizada na periferia do Rio, visitamos a fábrica da maior rede de televisão do Brasil. Lá eles fabricam todos os equipamentos que são necessários para os seus programas de televisão, filmes e etc…

Em um dos programas de competição musical, é utilizada em suas cadeiras nossa iglidur® PRT. Quatro treinadores (artistas consagrados) sentam em cadeiras de costas para o palco. Se o treinador gosta do que escuta, ele aperta um botão fazendo com que a cadeira vire para o palco. Assim, o treinador mostra que tem interesse em trabalhar com aquele participante.

Nossa bucha garante uma rotação segura e sem ruído. (Na visita apenas a base estava disponível).

Além do deslize suave, outra vantagem é que todos são livres de manutenção.  Os treinadores podem escolher vários participantes sem que a cadeira necessite de lubrificação.

A fabrica e a maior parte da cidade estão cercadas por montanhas.

Umas das montanhas mais famosas é o Pão de Açúcar, que está a 396 metros acima do porto.

Há possibilidade de subir o Pão de Açúcar a pé ou de teleférico. A vista de lá de cima é incrível! É possível ver a cidade toda do alto da montanha. E você sabia que a iglidur® pode melhorar o desempenho de teleféricos? Saiba mais aqui: http://blog.igus.de/Blogengine/iglidur_on_tour/post/2014/03/24/Advantages-of-iglidur.aspx#continue

Do Pão de Açúcar é possível ver o símbolo do Rio de Janeiro. A estatua de Cristo, localizado na ponta do Corcovado (altitude de 700 metros).

Inicialmente, a estatua de 40 metros de altura foi construída para o aniversário de cem anos de independência do Brasil (1922). Mas por problemas financeiros, a estatua demorou 9 anos a mais para ser finalizada.

Você sabia que há outra estatua parecida com esta em Lisboa?

Nós visitamos o Cristo Redentor no por do sol, a vista do céu estava incrível no alto da montanha.

Vendo como um turista no Rio, há duas paixões visíveis entre os brasileiros acontecendo por aqui. Uma delas obviamente é o futebol, já que a copa do mundo está acontecendo aqui. Assistimos um dos jogos do Brasil em uma FIFA Fan Fest em Copacabana. Posso afirmar que foi uma experiência única.

Copacabana é uma das praias mais famosas no mundo inteiro. Ela tem uma extensão de quatro quilômetros, aonde a Fan Fest foi construída contendo milhares de visitantes na areia.

E quando o Brasil joga acontece uma festa, aonde ela se estende para a praia inteira.

Na Fan Fest, você também pode experimentar a segunda paixão brasileira, o Samba. Antes e após o jogo, o samba se espalha pela cidade inteira. Na figura abaixo estamos na frente de uma das escolas de samba mais famosas do Brasil, a Mangueira.

Localizada na favela da Mangueira.

As favelas fazem parte do Rio de Janeiro, assim como a Copacabana e o Pão de Açúcar. Na maioria das vezes, os moradores da favela são erradamente apresentados pela mídia. A mídia não foca na maioria dos moradores normais que habitam as favelas. Mas sim, os poucos criminosos. Em 2010, o governo implementou um programa polemico que visa a descriminalização das favelas, expulsando os traficantes e implementando delegacias.

Rio de Janeiro tem várias faces e certamente é uma das cidades mais bonitas do mundo inteiro.

Mantenho vocês informados,

Sascha.

Um país, uma paixão.

Samba, caipirinha e futebol.  A maioria das pessoas associam estas palavras ao Brasil. Até este momento, eu posso dizer uma coisa: nossos colegas não estão dançando samba e bebendo caipirinha o tempo todo. Agora sobre futebol, ok, é a copa do mundo e todo mundo no Brasil dos jovens aos mais velhos, homens e mulheres, todo mundo é louco por futebol (Mas lembre-se da copa na Alemanha, todo mundo começou a adorar futebol de repente).

Assistimos ao jogo do Brasil na semana passada em uma exibição publica do jogo em São Paulo, e senti a sensação única de um torcedor brasileiro.

O clima de alegria se transformou em tensão, quando o Chile empatou o jogo resultando em pênaltis.

Com a vitória do Brasil, a tensão se foi e todos se sentiram aliviados prontos para começar uma festa pelas ruas.

Saindo um pouco da copa do mundo, eu gostaria de apresentar a vocês uma outra copa. A copa do mundo RoboCup acontece também no Brasil em João Pessoa, de 19 a 25 de julho. A igus® está participando juntamente com os robôs, que irão competir com os melhores robôs do mundo em várias disciplinas. Uma destas disciplinas é o “futebol de robô”.

A Universidade de Bonn (Alemanha) construiu, em cooperação com a igus®, um robô humanoide que utiliza várias buchas iglidur®. Além das buchas, existem componentes de plásticos que foram fornecidos pela igus® usando o processo de sinterização a laser.

No próximo passo, o robô será equipado com os cabos Chainflex® também.

Enquanto as buchas iglidur® fornecem um movimento silencioso e ajudam a diminuir o peso do robô, os cabos Chainflex® ajudaram na economia de espaço e garantindo um ótimo fornecimento de energia.

As partes de plásticos, por exemplo, o corpo foi feito pela igus® com sinterização a laser. Com ele o robô ficou extremamente leve e resistente. Isso lhe dará uma grande vantagem sobre os competidores.

Aliás, o robô ainda não possui um nome. Acesse  http://goo.gl/mkYJ54 e ajude a escolher um nome para ele.  Durante as semanas iremos dar mais informações sobre ele, para que você o conheça ainda mais. E caso o nome que você deu sugestão seja escolhido pela igus® e a universidade, você ganhará uma surpresa.

Como informei a vocês, estou em São Paulo no momento. São Paulo, é a fortaleza econômica do Brasil e com 20 milhões de habitantes, é a maior área metropolitana no hemisfério sul.

Infelizmente o carro está a 700 quilômetros ao norte, no Rio de Janeiro. A alfândega do Rio é especializada em importações e por isso é muito mais rápida que a de São Paulo.

 

Hoje chegaremos no rio e de lá começaremos a nossa turnê. Iremos dirigir ao Sul até a fronteira com a Argentina.

Mantenho vocês informados,

Sascha.

Adeus Japão!

Durante as três ultimas semanas, nós exploramos os principais locais do Japão. Nós dirigimos uma média de 2.300 quilômetros até chegarmos ao Monte Aso, o maior vulcão ativo do Japão.  De lá para o norte, percorremos 1.700 quilômetros de volta para o norte.  Junto aos passeios do dia a dia, percorremos 5200 quilômetros por aqui. Lembrando que a turnê até agora, rodou mais de 17.000 quilômetros!

Enquanto dirigíamos para o norte, passamos pela prefeitura de Miyagi. Miyagi fica ao norte de Tóquio e foi manchete do mundo inteiro quando foi atingida por um tsunami.

Desde então muito foi feito nos últimos três anos. Todos os destroços (prédios e casas) foram removidos e muitas casas foram construídas.

Placas nos prédios indicam para subir ao topo em caso de tsunamis.

A vida continua, e a primeira vista você não acredita que esta cidade foi reconstruída. Mas se você sabe o que aconteceu é mais fácil de perceber a tragédia. Grandes vizinhanças urbanas estão abandonadas.

Alguns cidadãos nunca mais voltaram, assim como empregadores. Várias instalações que ficaram destruídas, nunca foram construídas novamente (pelo menos não na cidade). Algumas pessoas não só perderam suas casas, mas como também seus empregos. Pessoas ainda vivem em casas temporárias que muitas vezes são em lugares pequenos aonde a privacidade não existe.

 A fundação “Hitachi” é uma das organizações que está ajudando crianças após a tragédia.  “Hitachi” em japonês significa “vinte anos de idade”. Eles acompanham crianças até se tornarem adultas.  A Hitache serve como “guarda chuva” para várias fundações. Cada uma destas instituições é especializada em um tipo de ajuda. Uma delas é a “Chance for Children foundation” (CFC), que é focada em educação.

A igus® Japão dará suporte para eles doando um euro a cada quilômetro rodado.

Primeiramente o dinheiro será usado para salas de aula. Lá as crianças poderão aprender brincar e tirar duvida sobre seus deveres de casa. Também é dado um “voucher de educação”, aonde este voucher funciona como um método de pagamento. Para que as crianças possam entrar em museus, clubes de esporte, escolas de musica e etc… Tudo pago por meio do voucher.

A turnê chegou ao seu fim aqui no Japão. Gostaria de dizer “adigato gozaimasu” para todos meus colegas japonese, que me receberam e me deram suporte em toda a viagem. Foi uma ótima turnê.

Estamos a caminho de Tóquio. De lá o carro irá partir para o outro lado do mundo. No próximo post escrevo para vocês direto do Brasil!

Vejo vocês em breve,

Sascha.

Página 17 de 21« Primeira...10...1516171819...Última »