Por que as guias lineares da igus suportam aplicações em diversos ambientes?

Navegação de artigos

Para entender mais sobre as aplicações das guias lineares drylin da igus, trouxemos algumas questões que esclarecem o conceito de funcionamento “deslizar ao invés de rolar” e um breve comparativo com os rolamentos de esferas metálicas.

 

 

 

 

 

 

 

 

As guias lineares drylin da igus deslizam suavemente sob qualquer aplicação pois suas buchas são feitas de polímero de elevada performance. A elevada superfície de contato distribui a força e permite o uso de guias e eixos macios. As propriedades autolubrificantes dos plásticos tribo otimizados garantem ainda a isenção de lubrificação e manutenção da aplicação e podem movimentar altas cargas sem forças excessivas de acionamento.

Os rolamentos de esferas metálicas por sua vez, possuem um contato pontual. Ou seja, a força é transmitida através das esferas sobre um único ponto, sendo necessária a lubrificação para o funcionamento dos mesmos.

Especialmente em ambientes agressivos, em aplicações que contenham umidade, sujeira, contato com produtos químicos ou outros, os componentes deslizantes em polímero da igus trabalham com robustez e resistência, sendo insensíveis à essas condições. Isso por conta das propriedades do material feito em polímero de engenharia que é resistente ao desgaste.

Uma das primeiras aplicações técnicas de guias lineares em polímero foi na indústria da madeira, onde a combinação da serragem com os rolamentos de esferas tradicionais originavam paradas não planejadas e perda na produtividade. Os rolamentos acabam travando por conta da mistura da serragem com lubrificantes – a serragem acabava removendo a lubrificação do sistema.

A igus foi uma das primeiras empresas especialista em polímeros à aceitar o desafio de desenvolver sistemas de guias lineares isentos de lubrificação, com baixo atrito e vida útil elevada.

Hoje em dia, as vantagens das guias lineares drylin, abriram espaço para diversas aplicações sensíveis, que exigiam componentes mais resistentes e duradouros em ambientes exigentes. Elas garantem confiabilidade em aplicações com velocidades elevadas, de forma muito silenciosa. Podem ser empregadas em ambientes que exigem alto nível de higiene, como na indústria alimentícia, de bebidas, embalagem ou médica e também sob diversas temperaturas.

Em contra partida, os rolamentos de esferas metálicas são mais sensíveis à vibrações e impactos. Estão sujeitos à corrosão em ambientes úmidos e são muito mais ruidosos. Neles há a necessidade de manutenção constante, pois precisam ser lubrificados com frequência para o funcionamento ocorrer.

A diferenciação por design também tem um papel importante no desempenho. Ao contrário dos rolamentos de esferas, as guias lineares em polímero possuem ranhuras/estrias que permitem que a sujeita passe por seu interior e não acumule nas extremidades durante o curso.

Moral da história: Além de serem mais econômicas, por não necessitarem de lubrificação e nem manutenção, as guias lineares drylin da igus são mais fáceis de montar, operam sob diversos ambientes e circunstâncias e possuem baixo desgaste sendo as melhores soluções para aplicações exigentes.

Se quiser saber mais sobre a diferença entre as guias lineares drylin, com buchas em polímero versus o funcionamento dos rolamentos de esferas, acesse: https://www.igus.com.br/info/linear-guides-plastic-vs-metal

Ou entre em contato conosco pelo e-mail: marketing@igus.com.br