O Senai-SP apresentou nessa sexta-feira o preview de sua planta piloto de confecção baseada no conceito da Indústria 4.0

Navegação de artigos

Baseada no conceito da Manufatura Avançada, a planta piloto desenvolvida por profissionais e alunos do Senai-SP é composta por 6 módulos que compõe o processo de fabricação, no caso, de uma camiseta personalizada. O projeto que está sendo desenvolvido desde o final do ano passado, teve sua primeira apresentação para convidados nessa sexta-feira, dia 19/10, no Senai do Brás. A inauguração oficial acontecerá em breve.

A planta piloto foi desenvolvida para que o cliente crie uma camiseta customizada em uma linha de produção totalmente automatizada e robotizada, sem qualquer interferência humana. Tudo começa com a interação entre a pessoa e uma tela de realidade virtual e termina com o produto pronto, em um processo com poucas etapas e muita tecnologia!

O conceito de manufatura avançada, ou Indústria 4.0, é formado por um conjunto de tecnologias integradas e habilitadoras que possibilita que as linhas de produção sejam ágeis e atendam o consumidor final de maneira personalizada.

Mas como funciona?

1º etapa – Espelho Virtual

Esse é o considerado o módulo de entrada da ordem de produção. Os profissionais e alunos encontraram uma solução interativa para a solicitação do produto… o cliente faz um cadastro através de um tablet e recebe um e-mail com um QR code para a retirada do produto posteriormente. O Espelho Virtual é liberado para iniciar a customização da camiseta. Nesse parte, o usuário define o tamanho, escolhe entre diversas opções de estampas e ainda tem a opção de personalizar inserindo sua assinatura em diferentes posições.

2º etapa – Estamparia Digital

É composto por uma impressora digital com um sistema inteligente de gestão de insumos, que garante eficiência e qualidade no processo de estamparia. Após essa etapa, o tecido é cortado e vai para uma esteira de transporte que realiza a fixação da impressão.

3º etapa – Corte Automatizado

Uma máquina de corte CNC é utilizada nessa etapa, composta por um sistema de visão inteligente feito por câmeras, realiza o corte do tecido com precisão nas areas demarcadas, através da análise das imagens e algoritmos. Feito isso, a máquina posiciona a camiseta cortada através das Smart Needles (conjunto de agulhas que consegue pegar e posicionar a camiseta) e a posiciona para a retirada e encaminhamento ao próximo módulo.

4º etapa – Costura 4.0 

Esse módulo é composto por um manipulador e um robô industrial. O manipulador retira a camiseta sobre a máquina de corte e a posiciona sobre uma Smart Table. O robô industrial pega a camiseta posicionada no molde e realiza a operação de costura na máquina overloque.

5º etapa – Embalagem

Nesse módulo, o cliente apresenta o QR Code recebido em seu smartphone, via e-mail, para retirada do seu pedido e interage com um robô colaborativo que desvira a camiseta.

6º etapa – Entrega Robotizada

Uma vez que a camiseta é desvirada, ela é embalada e está pronta para ser entregue em suas mãos.

O projeto é integrado pelos mais modernos sistemas de gerenciamento e controle como ERP (gestão empresarial), MES (gestão da manufatura) e uma plataforma de manutenção inteligente que integra sinais analógicos e digitais com IIoT (Internet Industrial das Coisas), trata as informações na nuvem com inteligência artificial e comunicação M2M (machine-to-machine). Além disso, conta com sistema de medição e gerenciamento de energia, tecnologia de realidade aumentada e de cyber security.

Os profissionais e alunos do SENAI-SP contaram com a ajuda de um time de patrocinadores composto por 14 fornecedores que ajudaram com a doação de peças, componentes e equipamentos para o desenvolvimento da linha. A igus foi um deles. Por meio do projeto YES, o programa de apoio à jovens engenheiros da igus® foram doados alguns elementos para o desenvolvimento do projeto, assim como suporte de nosso Gerente de Produto, Marcio Marques, para ajudar a esclarecer eventuais dúvidas dos produtos e auxiliar na aplicação em questão. O primeiro robô robolink doado no Brasil, foi para o projeto do Senai-SP, o robô colaborativo da igus tem a função de finalizar a linha colocando a camiseta dentro da embalagem para entregar ao cliente.

Além do robô colaborativo a igus também forneceu peças e componentes separados para diferentes aplicações na linha. Como por exemplo, as guias lineares drylin para movimentação segura e com deslizamento suave e também esteiras porta cabos que foram utilizadas para guiar e proteger os cabos que conduzem dados e energia.

Gostaríamos de parabenizar os envolvidos no projeto pelo desenvolvimento da planta piloto! Foi impressionante assistir à todo o conceito e à ideia que tomou corpo e tem se concretizado com sucesso!

Em breve, divulgaremos mais informações sobre essa parceria e o parecer dos que trabalharam com os produtos igus! Fique ligado 🙂