Mais uma aplicação inusitada – adega de vinho estilosa com molas impressas em 3D da igus

Navegação de artigos

Na feira de móveis, os técnicos de madeira de Hamburgo mostraram a pequena série Dolio com componentes livres de manutenção da igus.

Com uma área de 141.000 metros quadrados em onze pavilhões, mais uma vez, a feira IMM de Colônia se tornou a maior feira de móveis do mundo. Onde as pessoas criativas do setor mostraram as suas novidades. Tanto em questão de design quanto em questão de material. 15 potenciais técnicos de madeira da Universidade de Ciências Aplicadas de Gsechs em Hamburgo apresentaram na feira a sua série de adega de vinhos muito elegante feita de teca/carvalho, cortiça e folheado de ardósia. Eles usaram nos seus móveis as buchas deslizantes livres de lubrificação e de manutenção da igus.

As molas impressas em 3D feitas em plástico de alto desempenho tribologicamente otimizado I150 no móvel Dolio permitem um travamento da porta livre de lubrificação.

Esse ano, a IMM Colônia aconteceu de 15 a 21 de janeiro. Várias empresas e designers apresentaram os seus novos designs a uma audiência mundial. Os técnicos de madeira da Universidade de Gsechs de Hamburgo também estavam entre os apresentadores. Na sua bagagem, os 15 estudantes tinham uma série de adega de vinho chamada Dolio, um termo derivado da palavra latina “dolium” (barril). A idéia para essa série foi criada por uma tarefa chamada “inconvencionalmente aberta”. Depois de vários protótipos, foi desenvolvida uma pequena série de 20 unidades, que foi fabricada dentro de poucos meses. Dolio é uma adega vertical para vinhos, que permite girar cinco garrafas através de uma tampa. O sistema é fechado através de uma porta em folheado de ardósia com guarnições de aço que gira em 360 graus em volta do corpo. Para garantir que a porta deslize da melhor forma possível, os técnicos de madeira utilizaram o tribo-tape iglidur B160 nas suas guarnições de aço. Esses filmes deslizantes caracterizam-se, entre outros, pela sua extrema resistência ao desgaste e seu baixo coeficiente de atrito. Para travar a porta, os técnicos de madeira decidiram produzir as molas de forma aditiva. “Depois de alguns testes, decidimos imprimir as molas com o filamento iglidur I150 da igus”, explica Jorrit Burmeister. “O material de plástico foi muito resistente e fácil de processar, além de ser muito resistente ao desgaste e resistir às cargas permanentes no Dolio.”

Impressão simples de peças de desgaste isentas de lubrificação

Além do iglidur I150, a empresa especialista em motion plastics igus, possui mais cinco tribofilamentos iglidur isentos de lubrificação e de manutenção, para uma vasta gama de aplicações, tais como, por exemplo, aplicações onde sejam necessárias cargas permanentes ou resistência química. Um dos pontos em comum é a elevada resistência ao atrito, sendo até 50 vezes mais resistentes ao desgaste do que os materiais padrão para impressões 3D. A impressão 3D com os tribofilamentos da igus é uma boa opção, especialmente na produção de peças móveis complexas em pequenos lotes. Para clientes que não possuam impressoras 3D, a igus disponibiliza um serviço de impressão 3D para peças de desgaste, compostas pelo tribofilamento iglidur e pelos seus próprios materiais de sinterização a laser especiais para engrenagens iglidur I3 e iglidur I6. Os clientes podem transferir os seus dados, escolher o material, calcular os preços e encomendar as suas peças de desgaste individuais diretamente online.

Saiba mais em: http://www.igus.com.br